Estratégias sobre como contratar C-level

Como contratar C-Level é o que todo empreendedor se pergunta quando chega o momento de expandir a empresa. Afinal, à medida que elas crescem, precisam dar passos decisivos em direção ao aperfeiçoamento dos processos.

Uma vez que a evolução das demandas reflete o progresso conquistado, também fica mais evidente o que é necessário estruturar, com o objetivo de manter o ritmo de expansão. Entre as ações de crescimento, a estrutura executiva de gestão, conhecida como C-Level, merece especial atenção da empresa, que não pode se dar ao luxo de errar nesse passo tão importante.

Siga conosco para entender melhor quem é esse profissional, os desafios de contratá-lo e as competências você deve levar em conta para identificar os melhores candidatos!

Qual o papel do C-Level no amadurecimento das empresas?

O C-Level é o profissional que será responsável por elevar a empresa para um nível superior de negócio. A contratação desse profissional também é um processo natural das organizações que desejam alcançar o sucesso e que, conforme amadurecem, vão crescendo e formando líderes funcionais.

Em um processo igualmente natural, surgem os especialistas das áreas, seja de produto, finanças, comercial, marketing, entre outros. Essa especialização ocorre primeiramente nos pontos mais sensíveis, ou seja, que são críticos para o modelo de negócio, e vai se espalhando para os outros departamentos com o tempo.

Nesse contexto de fortalecimento e amadurecimento dos processos, as relações entre os stakeholders também vão se consolidando, ainda que as decisões mais importantes fiquem concentradas no empreendedor.

A partir desse ponto, é iniciado o processo de expansão da organização e, cada vez mais, os processos deixam de se parecer com os de uma startup, cujo objetivo se concentra na estabilização do modelo de negócios, para se tornar uma estrutura escalável, ou seja, uma organização que prioriza o rompimento de barreiras para o crescimento, e passa a focar saltos de escala.

Quando é chegada a fase da expansão, a empresa tende a ficar muito focada em processos e sistemas. Isso faz com que as relações fiquem muito mais melindrosas e, com isso, o empreendedor passa a ter de delegar algumas funções.

Todo o tempo usado para a operação já não faz tanto sentido, e o empresário acaba por sentir a necessidade de se dedicar a funções mais estratégicas, ou seja, participar de encontros com investidores, reuniões estratégicas, desenvolver uma visão disruptiva, entre outras atividades.

Assim, é chegada a hora de ele deixar a operação para conquistar uma estratégia mais eficiente para o seu negócio. Para tanto, a gestão precisa ser dividida. Contudo, o mais importante é que o pensamento estratégico também seja compartilhado.

Como saber se é o momento de contratar um C-Level?

Geralmente, você percebe que precisa encontrar um C-Level quando:

  • sente que os processos estão ficando muito especializados, e que é necessário dividir essa função com alguém;
  • fica dividido entre a operação e estratégia do negócio;
  • já falta tempo para raciocinar sobre inovação, ir ao mercado e conversar com investidores;
  • tem a percepção de que pensar o futuro do negócio é tão importante quanto operar e ganhar dinheiro hoje.

Aqui, você percebe claramente que apenas uma nova liderança, como supervisor ou gerente, não será capaz de resolver a sua necessidade de gestão do negócio.

Você chega à conclusão de que precisa ter ao seu lado executivos preparados, um C-Level, que é o líder de negócio capaz de participar da estratégia da organização, tomando decisões arriscadas, mas que, ao mesmo tempo, podem elevar a competitividade da empresa, garantindo que a operação do cotidiano esteja alinhada com os objetivos estratégicos da organização.

Quem são e o que fazem os C-Level?

C-Level é um adjetivo em inglês utilizado para descrever executivos de altos cargos dentro de uma companhia, de acordo com suas responsabilidades primárias. Normalmente, têm posições que começam por chefe (do termo Chief em inglês) e, por isso, são reconhecidos como profissionais C-Level.

No Brasil, é cada vez é mais comum encontrar esses profissionais ocupando essas posições no mercado de trabalho. Como são os mais poderosos executivos dentro dos departamentos, também carregam grande responsabilidade e têm remunerações diferenciadas. Se comparado aos demais colaboradores, o profissional C-Level ganha destaque pela sua grande vivência no mercado de trabalho, capacidade de liderar e ampla visão de negócio.

Os C-Levels podem ocupar diferentes cargos em funções executivas em uma organização. É evidente que algumas ocupações são necessárias somente em grandes empresas. No entanto, como contratar C-Level demanda saber quais são as funções dos principais cargos. Acompanhe!

CEO (Chief Executive Officer)

O CEO é responsável por manter todos que fazem parte da organização focados na busca pela mesma visão para o negócio. É a posição mais alta dentro de uma organização e, em razão disso, compete ao CEO criar um plano de ação executável, a fim de tornar suas estratégias realizáveis.

É de competência desse cargo o levantamento de capital para expandir as operações e direcionar o desenvolvimento dos profissionais que fazem parte da organização, assegurando não apenas que a equipe mantenha a qualidade técnica, mas também fomentando os valores da organização e administrando a cultura empresarial de forma positiva.

CTO (Chief Technology Officer)

Algumas organizações aderem ao profissional de CTO, com o objetivo de otimizar o uso da tecnologia para facilitar os processos em cada área do negócio. A função do CTO existe em empresas de todos os setores, e não só nas do ramo da tecnologia.

Afinal, a transformação digital requer que as organizações sejam adaptáveis aos avanços tecnológicos para criarem melhores produtos e processos.

CFO (Chief Financial Officer)

O CFO, diretor financeiro, é o profissional designado para gerenciar os recursos da organização. Essa função é fundamental para os negócios em crescimento, já que não adianta ter a melhor visão para a empresa e colaboradores competentes para executar suas funções se as finanças não estiverem em dia.

Também faz parte do escopo de competências do CFO manter os investidores informados sobre os processos financeiros da empresa, e garantir recursos de capitais suficientes para continuar contribuindo com o desenvolvimento da organização.

COO (Chief Operating Officer)

De forma geral, o COO é considerado um dos principais apoiadores do CEO no ambiente empresarial. Isso porque compete ao COO supervisionar toda a parte operacional da empresa, tornando possível que a visão do CEO se concretize em todos os níveis hierárquicos da organização.

Para tanto, esse profissional deve ter a competência de saber lidar com pessoas, já que o cotidiano do COO envolve a rotina diária do negócio.

CMO (Chief Marketing Officer)

O setor de marketing também requer uma visão estratégica e especializada, com grande alinhamento entre os profissionais de diferentes setores. É por isso que o CMO atua como peça-chave para o sucesso de uma organização, que também é responsável por direcionar e supervisionar as atividades de fidelização e atração de clientes.

Estudando as competências do CMO, é muito recorrente observar que os planos do CEO e as ações do COO sejam alinhadas e complementares ao que o CMO da empresa realiza.

CRO (Chief Risk Officer) ou CRMO (Chief Risk Management Officer)

O Diretor de Riscos de uma organização é o executivo responsável por tornar possível a governança de riscos significativos de forma efetiva, e oportunidades relacionadas a uma organização e seus vários departamentos.

Os riscos são considerados estratégicos, operacionais, reputacionais, financeiros ou relacionados com a conformidade. Junto ao Comitê Executivo e ao Conselho de Administração, também é de responsabilidade dos CROs tornar possível que a organização realize um balanço entre o risco e a oportunidade.

Em empresas mais complexas, de modo geral, são responsáveis pela coordenação da abordagem Enterprise Risk Management (ERM).

Como identificar um bom candidato para cargos C-Level?

Como podemos perceber, a função primordial de um C-Level é pensar a estratégia da organização. É de responsabilidade desse profissional criar meios para que a área que ele lidera contribua com a estratégia e, por meio da sua atividade, otimizar a competitividade da organização como um todo, junto com as outras funções.

Nesse contexto, encontrar um profissional com as competências e características necessárias para a ocupação do cargo pode ser um verdadeiro desafio. No processo seletivo de um C-Level, é necessário assegurar que os candidatos tenham mais do que um bom discurso, mas que tenham a capacidade de produzir resultados reais.

Então, como contratar C-Level? Separamos para você algumas dicas para contratar o executivo ideal para a sua empresa. Acompanhe!

Defina objetivos da organização

Antes de sair por aí procurando um C-Level, é importante se perguntar quais objetivos você almeja alcançar para a sua empresa. Isso é importante porque nenhum líder conseguirá suprir as necessidades de uma organização se não estiver certo sobre aonde ela precisa chegar.

Tenha em mente que as organizações têm necessidades diferentes nos diversos momentos de suas trajetórias. Portanto, é preciso verificar quais são as prioridades para a sua empresa hoje, para, então, desenhar o perfil do C-Level mais aderente às necessidades dela.

Dessa forma, você terá condições de saber com exatidão o que procurar em um candidato: características, experiência e demais competências. Isso será fundamental para a estruturação das entrevistas e ajudará você e o corpo de recrutadores a descobrirem se o candidato de fato tem as qualidades necessárias.

Analise o perfil comportamental e a aderência cultural

Formação acadêmica, conhecimento dos níveis operacional e tático, e experiência em outras funções são fundamentais para um profissional que pleiteia um cargo de C-Level. Entretanto, o perfil comportamental exige atenção especial. É importante garantir que o candidato tenha as competências emocionais e comportamentais necessárias para o exercício da função.

Para tanto, é preciso analisar se ele é, de fato, o profissional do qual o seu negócio precisa para a função. Nesse sentido, é fundamental que a seleção de um C-Level tenha candidatos que, em primeiro lugar, sejam capazes de compartilhar sua visão para todos os níveis da organização, de forma a engajar todos os colaboradores.

Esteja atento às referências dos candidatos

Um endosso de uma empresa ou pessoas para quem o profissional trabalhou anteriormente lhe dará uma segurança maior sobre o profissional que poderá fazer parte do seu negócio. Tendo isso em vista, é importante não subestimar as recomendações fornecidas. Embora seja uma atitude muito pouco madura, alguns candidatos tendem a elevar seu grau de competência no currículo.

Dessa forma, uma falha em verificar de forma minuciosa as referências pode significar a contratação de profissionais pouco competentes. Portanto, é importante assegurar que os candidatos sejam realmente plenos para entregarem o que prometeram em seus currículos.

Verifique se o candidato tem uma experiência relevante

No momento da entrevista, é importante questionar ações específicas do setor de atuação para verificar se o candidato tem os conhecimentos necessários no que tange aos desafios no seu segmento de atuação.

Assim, a experiência anterior dos candidatos de nível C não deve ser o único fator a ser avaliado. Também é relevante que o seu departamento de Recursos Humanos esteja a par de como o nível de experiência dos candidatos é relacionado ao seu potencial de sucesso em um cargo executivo.

No momento de entrevista com os candidatos, é fundamental explicar por que isso é tão decisivo para a função. Isso auxilia o candidato a ter uma visão macro do que seu histórico pode significar para o seu negócio.

Garanta que os valores dos candidatos estejam alinhados com os da sua organização

É preciso garantir que os candidatos selecionados apoiem a filosofia do seu negócio. Caso isso não aconteça, você terá um árduo caminho pela frente. E, embora o setor de RH tenha facilidade para encontrar com frequência o profissional certo para a maioria das posições em uma empresa, quando a questão é a contratação de cargos de nível C-Level, a tarefa pode ser mais desafiadora.

Isso acontece porque esses profissionais também são responsáveis por definir a cultura de uma organização e, uma vez que eles também serão responsáveis majoritários pela visão, missão e produtos da empresa, você está no caminho certo para selecionar um executivo que será capaz de implementar adequadamente uma estratégia para o crescimento e desenvolvimento dela.

Conte com o apoio de uma empresa especializada na seleção de executivos

Para ajudar você a como contratar C-Level escolhendo o melhor profissional, é fundamental que os candidatos sejam entrevistados e testados de forma minuciosa, para assegurar que eles realmente tenham as competências e características que o cargo demanda.

Uma empresa especializada na seleção de executivos é a parceira ideal para esse momento. A missão dela será procurar o talento adequado para atender às necessidades do seu negócio e, para isso, conta com grande experiência e domínio de técnicas para testar e conhecer os candidatos. Continue a leitura para saber como contratar um executivo C-Level!

Quais os desafios na hora de contratar um C-Level?

O processo de contratação de um C-Level costuma enfrentar dois grandes obstáculos. O primeiro deles é o fit cultural, ou seja, encontrar candidatos alinhados com um conjunto de valores e crenças compartilhados por todos os funcionários que fazem parte de uma organização. É importante você também analisar se essa pessoa vibra com o seu negócio e se zelará pelo seu empreendimento, fazendo as escolhas mais adequadas.

Quando finalmente você encontrar esse profissional, vem o segundo obstáculo: convencê-lo a encarrar os desafios do negócio com a remuneração e os benefícios que você pode oferecer. Ele vai ser o profissional ideal se:

  • topar os desafios que você propuser;
  • compreender o mercado, a estratégia e levar as competências nesse campo que a empresa precisa;
  • se encaixar na cultura da empresa;
  • você consegue pagar por ele.

Quer saber mais sobre como contratar C-Level? Então, continue a leitura.

Quais são as competências e desafios dos líderes C-Level?

Cada nível profissional conta com seus próprios desafios e, no caso dos líderes executivos, a palavra de ordem é gestão. Eles tomam decisões que afetam o futuro do negócio, e isso reflete nas ações e processos que envolvem as pessoas também.

Assim, algumas competências são prioritárias, enquanto outras podem ficar em segundo plano, no escopo de competências de uma equipe ou funcionário. Acompanhe a seguir quais são algumas das questões que os C-Levels precisam dedicar mais tempo e energia no cotidiano:

Visão ampla do negócio

É preciso ir além das limitações ou metas para ser um executivo C-Level. Isso faz com que eles tenham uma posição muito mais estratégica. Portanto, é importante que os membros do C-Suite (a cúpula de líderes executivos) estejam afinados com os propósitos da organização e também com os objetivos profissionais dos C-Levels. Isso é primordial para enxergar o negócio com uma visão de 360º.

Habilidade de delegar 

Delegar é uma habilidade que todo profissional de alto nível de gestão precisa dominar, pois precisa manter seu olhar na estratégia e cuidar da parte operacional ao mesmo tempo.

A ausência dessa competência para delegar pode resultar em dois extremos: concentrar as decisões, ou deixar os funcionários sem o direcionamento de que necessitam para executarem suas funções de maneira completa.

Leitura rápida de pessoas e situações 

O ambiente corporativo é dinâmico e está em constante transformação. As respostas para essas mudanças precisam acontecer de forma igualmente ágil, e não há muito espaço para erros.

Nesse cenário, é preciso lembrar que as funções de um C-Level passam diretamente pelas interações que ele tem com seus colaboradores. Então, é muito importante ter a visão tanto das situações como do comportamento das pessoas, para reagir da forma certa e tomar decisões mais alinhadas com o objetivo de desempenho da organização.

Posicionamento estratégico 

Não adianta oferecer um plano pronto para os colaboradores e observar tudo a distância. Isso não gera resultados efetivos e é necessário manter contato com as equipes sob o comando direto para ganhar a confiança de todos. Isso é fundamental para que todas as estratégias realmente funcionem.

Um líder na minha empresa pode se tornar um C-Level?

Quando você percebe que precisa se distanciar da operação, você dá início a um olhar interno para identificar qual líder poderá se tornar seu parceiro na condução do negócio. Nesse sentido, é normal e até mesmo comum que, nesse estágio de profissionalização do negócio, você tenha de substituir profissionais. Em especial, colaboradores que atuavam bem até então, mas que já não conseguem acompanhar o negócio quando ele precisa crescer.

Para descobrir se o seu negócio tem líderes com potencial de se tornarem executivos, é necessário que você analise quais são as pessoas que trabalham com você e que podem desenvolver um pensamento estratégico dentro da organização.

Caso não venha uma resposta imediata, isso significa que ainda não existem colaboradores maduros o suficiente para ocupar essa função. E, realmente, é muito pouco provável que tenha, visto que, em nenhum momento, as pessoas foram orientadas — na escola, no trabalho ou na vida — a pensar de forma estratégica.

Qual a estrutura operacional necessária para cargos C-Level?

Como mencionamos anteriormente, é frequente vermos startups e outras organizações contarem com profissionais C-Level para a estruturação do crescimento do negócio. Também ficou evidente que esses cargos requerem uma hierarquia de gerenciamento que envolve várias pessoas. Então, qual é a estrutura necessária para implantar cargos C-Level?

Geralmente, a hierarquia executiva é definida desde o surgimento da estrutura empresarial, já com o pensamento nos objetivos de grande escala, levando em consideração o crescimento em um prazo relativamente curto.

No entanto, de modo geral, os empreendedores entendem que é chegada a hora de estruturar uma liderança executiva quando fica árduo o trabalho para eles manterem o foco na operação e na estratégia ao mesmo tempo. Desse modo, o primeiro cargo a ser ocupado é o do CEO, que pode ser seguido pelo CFO, responsável pelas finanças e, então, os outros cargos, como vimos no item 3 deste artigo.

E, por último, para saber como contratar C-Level, confie na sua intuição. Se você não pode confiar na pessoa que está prestes a contratar, talvez essa não seja a melhor decisão. Você precisará confiar no executivo para liderar seu departamento de forma autônoma.

Quando você encontra um caminho seguro a seguir, fica mais fácil se mexer em busca de novos desafios e, consequentemente, de possibilidades de crescimento para a sua empresa. Faça a contratação, integre-os na organização e comece a ver os processos de forma mais ampla.

O que você achou deste artigo sobre estratégias sobre como contratar C-Level? Assine nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This